Notícias
            Informações             Notícias             Manifestação contra a Reforma da Previdência em Belo Horizonte
15/03/2017 Frei Fábio L'Amour Ferreira Notícias Manifestação contra a Reforma da Previdência em Belo Horizonte Uma multidão de pessoas saiu às ruas da capital mineira em protesto à Reforma da Previdência e ao governo Temer.
A+ a-

A manifestação contra a Reforma da Previdência e o governo Temer, em Belo Horizonte – MG, teve um estrondoso sucesso. Com a participação de aproximadamente cem mil pessoas, a multidão começou a concentração na Praça da Estação, desde as 9h da manhã deste 15 de março de 2017, e por volta das 11h já somava um número enorme de pessoas reunidas na praça. 

Convocada pela Frente Brasil Popular e Frente do Povo sem medo, juntamente com vários movimentos sociais, sindicatos e dezenas de outras entidades, a manifestação tomou as ruas do centro da capital mineira. Da Praça da Estação, por volta do meio-dia, deu-se prosseguimento a uma bonita marcha que saiu em direção à Praça Sete. De lá a marcha continuou até a Praça Raul Soares, e em seguida, para a Praça da Assembleia, onde, à tarde, aconteceu o encerramento do ato. As ruas ficaram literalmente tomadas, de uma praça à outra! 

Destaque para a participação maciça da população mineira de mulheres e também de vários religiosos e religiosas, tendo o ISTA suspendido as aulas para que os alunos pudessem se engajar. Várias escolas católicas também não tiveram aula hoje em prol da manifestação, dentre elas o Colégio Santo Antônio e outras renomadas instituições de ensino de Belo Horizonte.

A manifestação teve como foco a famigerada reforma da previdência de Michel Temer e a retirada de direitos previdenciários e trabalhistas dos trabalhadores brasileiros. A população se mostrou indignada com a PEC 287 que dentre outros, propõe a contribuição mínima de 49 anos para a aposentadoria integral, o tempo de contribuição mínimo de 25 anos (atualmente é de 15 anos) e a idade mínima para aposentar de 65 anos de idade, valendo essas regras, indistintamente, para homens e mulheres, do campo e da cidade. Durante o trajeto era comum ver faixas com os dizeres: “Nenhum direito a menos”, “fora Temer” e “ a aula hoje é na rua, e é de cidadania”. De fato, foi uma aula de cidadania para todos nós, sabendo, porém, que esse é só o começo, pois devemos pressionar muito mais para que a PEC 287 seja definitivamente rejeitada no Congresso e no Senado.

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias